Seguidores

Siga também por e-mail, assim você fica ligado em tudo que acontece aqui!!!

sábado, 31 de dezembro de 2011

Feliz Ano Novo

O ano velho se vai,levando consigo muita lembranças,
umas ruins, outras alegres...
Mas isso não importa.
O importante é que você chegou até aqui.
Meu desejo é que seu Novo Ano seja de PAZ,

 Amor, Saúde e cheio de realizações.
É hora de refazer seus sonhos ainda não

realizados e acreditar que irã concretizá-los.
Aprender com os erros do ano já ido e

brindar o ano bem vindo com um sorriso.

Feliz Ano Novo!!!

sexta-feira, 23 de dezembro de 2011

Monogramas em bolinhas

Bem, a vida sem amor é mera ilusão.


Hei, você, aonde vai com tanta pressa?
Eu sei que você tem pouco tempo…
Mas será que poderia me dar uns minutos da sua atenção?
Percebo que há muita gente nas ruas, correndo como você.
Para onde vão todos?
Os shoppings estão lotados…
Crianças são arrastadas por pais apressados, em meio ao torvelinho…
Há uma correria generalizada…
Alimentos e bebidas são armazenados…
E os presentes, então? São tantos a providenciar…
Entendo que você tenha pouco tempo.
Mas qual é o motivo dessa correria?
Percebo, também, luzes enfeitando vitrines, ruas, casas, árvores…
Mas confesso que vejo pouco brilho nos olhares…
Poucos sorrisos afáveis, pouca paciência para uma conversa fraternal…
É bonito ver luzes, cores, fartura…
Mas seria tão belo ver sorrisos francos…
Apertos de mãos demorados…
Abraços de ternura…
Mais gratidão…
Mais carinho…
Mais compaixão…
Talvez você nunca tenha notado que há pessoas que oferecem presentes por mero interesse…
Que há abraços frios e calculistas…
Que familiares se odeiam, sem a mínima disposição para a reconciliação.
Mas já que você me emprestou uns minutos do seu precioso tempo, gostaria de lhe perguntar novamente: para que tanta correria?
Em meio à agitação, sentado no meio-fio, um mendigo, ébrio, grita bem alto: “viva Jesus, feliz Natal”!
E os sóbrios comentam: “é louco!”.
E a cidade se prepara… Será Natal.
Mas, para você que ainda tem tempo de meditar sobre o verdadeiro significado do Natal, ouso dizer:
O Natal não é apenas uma data festiva, é um modo de viver.
O Natal é a expressão da caridade…
E quem vive sem caridade desconhece o encanto do mar que incessantemente acaricia a praia, num vai-e-vem constante…
Natal é fraternidade…
E a vida sem fraternidade é como um rio sem leito, uma noite sem luar, uma criança sem sorriso, uma estrela sem luz.
Mas o Natal também é união…
E a vida sem união é como um barco rachado, um pássaro de asas quebradas, um navegante perdido no oceano sem fim.
E, finalmente, o Natal é pura expressão do amor…
E a vida sem amor é desabilitada para a paz, porque em sua intimidade não sopra a brisa suave do amanhecer, nem se percebe o cenário multicolorido do crepúsculo.
Viver sem a paz é como navegar sem bússola em noite escura… É desconhecer os caminhos que enaltecem a alma e dão sentido à vida.
Enfim, a vida sem amor… Bem, a vida sem amor é mera ilusão.
Que este Natal seja, para você, mais que festas e troca de presentes…
Que possa ser um marco definitivo no seu modo de viver, conforme o modelo trazido pelo notável Mestre, cuja passagem pela Terra deu origem ao Natal…



segunda-feira, 19 de dezembro de 2011

Natal




Natal


A Árvore de Natal - Pinheirinho (Lenda)


A Árvore de Natal - Pinheirinho (Lenda)

Quando o menino Jesus nasceu, todas as pessoas ficaram alegres.
Crianças , homens e mulheres vinham vê-lo trazendo presentes, pobres ou ricos.
Perto do estábulo onde dormia o menino Jesus, num berço de palha, havia três árvores: uma palmeira, uma oliveira e um pinheirinho.
Vendo aquela gente que iá e voltava, passando embaixo dos seus galhos, as três árvores quiseram também dar alguma coisa ao menino Jesus.
- Eu vou dar a minha palma maior, a mais bela para que ela abane docemente o bebê, disse a palmeira.
- Eu vou apertar as minhas olivas e elas servirão para amaciar seus pezinhos, disse a oliveira.
- Eu eu? Que posso dar? Perguntou o pinheirinho.
- Você. Responderam as outras; você não tem nada para dar. Suas agulhas pontudas poderiam picar o menino Jesus.
O pobre pinheirinho sentiu-se muito infeliz e respondeu tristemente:
- É mesmo, vocês tem razão: não tenho nada para oferecer.
Um anjo que estava ali perto, escutou a conversa e teve pena do pinheirinho, tão humilde, tão triste, que nada podia fazer porque nada possuia.
Lá no céu, as estrelinhas começam a brilhar. O lindo anjinho olhou para o alto e chamou-as. No mesmo instante elas desceram, com boa vontade e foram colocar-se sobre os ramos do modesto pinheirinho que ficou todo iluminado.
Lá no bercinho, dentro do estábulo, os olhos do menino Jesus ao ver aquela árvore tão linda.
É por isso que as pessoas, até hoje, enfeitam com luzes e pinheiro, na véspera de Natal.